Café no Vietnã deve atingir produção quase recorde

Publicado em 08/10/2014 16:36 296 exibições

Cafeicultores no Vietnã, maior produtor de grãos robusta utilizados pela Nestlé SA, devem colher uma safra quase recorde neste ano, ajudando a aliviar uma escassez global. Os futuros tiveram a maior queda em cerca de duas semanas.

A produção deverá atingir 1,69 milhões de toneladas em 2014/15, de acordo com a média de 10 estimativas de traders compiladas pela Bloomberg. O volume é maior que as 1,65 milhões de toneladas previstas em uma pesquisa no mês passado e também maior que o volume registrado na temporada anterior — 1,71 milhões de toneladas. As reservas dos produtores no final de setembro totalizaram em torno de 3% da safra passada, segundo estimativas.

Os futuros saltaram 27% em Londres este ano na expectativa de que o consumo de café vá exceder a oferta com a seca que prejudica as plantas no Brasil — maior produtor de café arábica e segundo maior produtor de robusta. A escassez global pode persistir durante os próximos dois anos, segundo a Organização Internacional do Café. Ameaças à safra do Vietnã desapareceram, disse Anh Minh Co., maior exportador privado por volume.

“Há alguns meses atrás, nós ainda tínhamos que se preocupar com fatores como clima, pragas e doenças", disse Phan Anh Hung, diretor adjunto da filial da Anh Minh, em Dak Lak. “Não há muita incerteza agora, assim estamos confiantes com estimativas mais elevadas.”

Os futuros do café robusta caíram até 2,1%, para 2.131 dólares a tonelada na ICE Futures Europe, hoje, maior queda desde 25 de setembro, antes de negociar a 2.136 dólares por volta das 4h16 — horário de Cingapura. O tipo arábica, favorecido pela Starbucks Corp, aumentou 93% este ano, para 2.138 dólares por libra. O Conselho Nacional do Café do Brasil estima que os agricultores devam colher menos de 40 milhões de sacas de 60 quilos em 2015, após uma queda de 18% este ano, se confirmada essa seria a maior queda de produção em cinco décadas.

 

Tradução: Jhonatas Simião

Tags:
Fonte:
Bloomberg

0 comentário