Preço do milho encerra a 6ª feira com poucas alterações no Brasil

Publicado em 20/11/2020 17:13 e atualizado em 23/11/2020 09:16 788 exibições
Chicago sobe pouco hoje, mas acumula 3% de alta na semana

LOGO nalogo

A sexta-feira (20) chega ao final com os preços do milho registrando pequenos recuos no mercado físico brasileiro. Em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas, não foram percebidas valorizações em nenhuma das praças.

Já as desvalorizações apareceram em Amambaí/MS (1,39% e preço de R$ 71,00), Maracaju/MS e Campo Grande/MS (1,41% e preço de R$ 70,00) e Jataí/GO (4,35% e preço de R$ 66,00).

Confira como ficaram todas as cotações nesta sexta-feira

De acordo com o reporte diário da Radar Investimentos, “a semana foi de aumento das ofertas do milho nas praças paulistas e nas praças vizinhas. O recuo do dólar deixou mais frio o apetite para as exportações nos últimos dias. O vendedor está mais ativo do que o comprador”.

Apesar disso, o Rio Grande do Sul registrou elevação de 2,06% no preço médio da saca de milho ao longo desta semana, chegando ao patamar de R$ 80,19 conforme relatado no boletim semanal com a atualização para as safras da Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural).

A consultoria SAFRAS & Mercado, apontou que “o mercado brasileiro de milho manteve preços pouco alterados, para cima ou para baixo, nesta semana. As cotações seguem sustentadas por uma oferta controlada, e com apreensões ainda com o clima para a safra de verão de 2021”.

“Alguns consumidores indicam que estão posicionados até a virada de ano. Os produtores por sua vez mantêm a estratégia de retenção ainda observando atentamente o risco climático, com chuvas irregulares em relevantes regiões produtoras”, comenta. A movimentação cambial ainda é um fator relevante no restante do ano, destaca o analista da SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias.

B3

Os preços futuros do milho começaram o último dia da semana em baixa na Bolsa Brasileira (B3), mas ganharam força ao longo da sexta-feira e chegaram ao campo misto, próximo da estabilidade. As principais cotações registravam movimentações entre 0,64% negativo e 0,45% as 17h07 (horário de Brasília).

O vencimento janeiro/21 era cotado à R$ 78,23 com baixa de 0,64%, o março/21 valia R$ 78,32 com perda de 0,46%, o maio/21 era negociado por R$ 73,82 com queda de 0,45% e o julho/20 tinha valor de R$ 67,10 com elevação de 0,45%.

Para o analista de mercado da Brandalizze Consulting, Vlamir Brandalizze, o mercado brasileiro de milho já está reta final de ano com as indústrias de ração em balancete e se preparando para parar as compras e iniciar as férias coletivas e manutenção dos equipamentos.

“Os negócios são pontuais e quase não existem. As cotações não mostram muita variação porque não há muita oferta de milho”, destaca Brandalizze.

Mercado Externo

Os preços internacionais do milho futuro contabilizaram ganhos durante toda a sexta-feira na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações registraram movimentações positivas entre 0,75 e 1,50 pontos ao final do dia.

O vencimento dezembro/20 foi cotado à US$ 4,23 com alta de 0,75 pontos, o março/21 valia US$ 4,28 com elevação de 1,00 ponto, o maio/21 era negociado por US$ 4,30 com valorização de 1,50 pontos e o julho/21 tinha valor de US$ 4,30 com ganho de 0,75 pontos.

Esses índices representaram altas, com relação ao fechamento da última quinta-feira, de 0,24% para o dezembro/20, de 0,23% para o março/21 e de 0,23% para o maio/21, além de estabilidade para o julho/21.

Com relação ao fechamento da última semana, os futuros do milho acumularam valorizações de 3,17% para o dezembro/20, de 2,15% para o março/21, de 1,42% para o maio/21 e de 0,94% para o julho/21 na comparação com a última sexta-feira (13).

Segundo informações do site internacional Successful Farming, os preços do milho registraram pequenos ganhos em Chicago acompanhando as altas contabilizadas para a soja neste fim da semana.

“A soja continua sua busca por US$ 12 e o milho vai junto. Com os fundos carregando posições compradas significativas em ambos os mercados, os fundamentos ficaram um pouco para trás no caso do milho. Esperamos que o mercado de soja mantenha o prêmio de risco até que se saiba mais sobre a safra de soja da América do Sul ”, diz Britt O'Connell da ever.ag

Don Roose, da US Commodities em West Des Moines, acrescenta ainda que o milho está acompanhando a alta da soja, mas também está se beneficiando dos rumores de compras chinesas.

Leia Mais:

+ Milho: negócios estão em ritmo lento no Brasil

+ Exportação brasileira de milho em novembro chega à 2,71 milhões de toneladas e já é 47% do previsto para o mês

+ Sementes de milho do programa Troca-Troca têm 97,7% de potencial de germinação

+ USDA informa embarques semanais de soja dos EUA acima de 2,2 mi de t

+ USDA aponta colheita da soja nos EUA em 96%, dentro das expectativas

+ USDA informa venda de 195 mil t de milho nesta 3ª feira

+ Sistema Antecipe diminui riscos de plantio para milho safrinha

+ Anec revisa para cima exportação de grãos no mês e vê mais de 5 mi t de milho

+ Paraná se encaminha para final do plantio do milho verão e ainda espera 3,4 milhões de toneladas

+ Déficit hídrico na região de Campos Novos/SC chega em até 500mm e perdas significativas aparecem no trigo, milho e soja

+ Safra de verão de milho está 98% plantada no Paraná e lavouras em boas condições são 71%

+ Preço do milho recua nesta semana no Mato Grosso do Sul, mas segue 115% maior do que em novembro de 2019

+ Milho: USDA anuncia venda de 140.000 t para destinos não revelados

+ Emater RS evita já falar em perdas para milho e soja, mas destaca prejuízos com a necessidade de replantio

+ USDA: Vendas semanais de soja e milho dos EUA ficam acima das expectativas do mercado

+ Conab aponta índice de plantio de arroz, milho e soja maior que período anterior

+ Tempo seco afeta desenvolvimento do milho no Rio Grande do Sul e saca do cereal ultrapassa os R$ 80,00 no estado

+ USDA informa nova venda de 289,27 mil toneladas de milho nesta 6ª feira

+ Plantio do milho vai à 46% na Argentina; estoques finais são mantidos em apenas 3,61 milhões de toneladas

+ Embrapa desenvolve sistema de antecipação do plantio do milho safrinha ainda com a soja em campo

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário