Soja contraria chamada negativa e opera em alta na CBOT. Milho recua

Publicado em 02/05/2012 12:37 893 exibições
Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago iniciaram o pregão regular desta quarta-feira em baixa, mas logo passaram para o território misto. Por volta das 12h26 (horário de Brasília), o vencimento maio tinha uma leve alta de 2,50, cotado novamente a US$ 15 por bushel. Já o julho operava estável e o agosto tinha um leve recuo de 3,75. No entanto, às 12h37, o maio já tinha alta de 10,25 pontos, valendo US$ 15,08. 

O mercado opera volátil na sessão diurna desta quarta-feira. Por um lado, as realizações de lucros ainda continuam no mercado, porém, os  fundamentos seguem positivos e ainda presentes nos negócios. O bom desenvolvimento do plantio da oleaginosa nos EUA também pressiona os preços na sessão de hoje. 

Além disso, a demanda pela soja norte-americana permanece aquecida. Hoje, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) voltou a reportar vendas, neste caso, de 204 mil toneladas a destinos não reveladas com entrega para safra 2012/13. 

Na contramão, o mercado do milho registra um dia negativo na Bolsa de Chicago. Os principais vencimentos do cereal registram baixas de 1,25 a 7,25 pontos. 

As condições climáticas favoráveis nos Estados Unidos também estimulam o plantio e devem garantir uma boa produtividade para o ciclo 2012/13, podendo vir a confirmar uma super safra nesta temporada nos EUA. Este cenário acaba provocando um movimento de vendas especulativas entre os traders, o que impacta em uma baixa das cotações entre os futuros dos grãos. 

Paralelamente, o dia negativo também para o petróleo, para os metais e para algumas bolsas de valores também refletem no mercado internacional de grãos, contribuindo para as quedas.
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário