CBOT: Soja encerra o dia no vermelho com baixa desvinculada de fundamentos

Publicado em 07/05/2012 16:52 e atualizado em 07/05/2012 18:47 1409 exibições
A soja encerrou a sessão regular com baixas de dois dígitos - entre 9,50 e 13,25 pontos - na Bolsa de Chicago nesta segunda-feira. A pressão veio, principalmente, do clima favorável nos Estados Unidos e do desempenho negativo do mercado financeiro. Uma queda totalmente desvinculada de fundamentos. 

Hoje, os investidores estiveram mais avessos ao risco com a macroeconomia temerosa depois do resultado das eleições na França e na Grécia no último domingo (6). O mercado acredita que com os novos governantes, o pacto de austeridade firmado na Zona do Euro possa estar ameaçado. 
Com isso, ao redor do mundo, principalmente no Brasil, as principais bolsas de valores operaram em queda, o euro recuou, assim como mais commodities agrícolas, além da soja, e alguns produtos como o petróleo e os metais. 

"Um panorama negativo na Espanha, na Grécia e na França fez com que os fundos realizassem lucros naquelas commodities que tiveram ganhos maiores, e a soja, nos últimos dias, teve ganhos robustos. Então, essa queda é normal, mas totalmente desvinculada de fundamentos", disse Carlos Cogo, analista de mercado da Carlos Cogo Consultoria Agroeconômica. 

Além disso, na próxima quinta-feira, dia 10, o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) divulga seu novo relatório de oferta e demanda mundial e isso faz com que os traders busquem um melhor posicionamento antes disso. 

Como explicou Cogo, esses dias que antecedem a liberação dos dados estimula um comportamento mais volátil do mercado, reagindo hora negativamente, hora positivamente. Isso acontece pois os investidores aguardam por novidades que, para o analista, devem vir nesse relatório. 

O novo foco do mercado são os números sobre a safra da Argentina e, em um segundo momento, uma nova correção para a safra brasileira. Segundo o analista, os agentes do mercado, incluindo até mesmo as bolsas de cereais e o governo argentinos, já falam em menos de uma produção inferior a 42 milhões de toneladas. 

Além do financeiro negativo e dos traders se posicionando às vésperas do USDA, o quadro climático nos Estados Unidos, no momento, é baixista. No último final de semana, foram registradas boas chuvas nas principais regiões produtoras do país e o andamento do plantio da safra 2012/13 está sendo, portanto, beneficado pelas condições climáticas, fator que também pressionou os preços neste início de semana. 

Confira como ficaram as cotações dos grãos no fechamento desta segunda-feira:



Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário