Café: Tendência é que mercado continue operando em alta e encerre 2019 com bons preços

Publicado em 03/12/2019 16:46 e atualizado em 03/12/2019 17:20
749 exibições
Para analista, mercado tem se movimentado de maneira sólida, com altas significativas e bons negócios sendo fechados; produtor deve se programar para aproveitar bom momento e entrar em 2020 com saldo positivo
Rodrigo Costa - Diretor de Trading do Grupo do Comexim

Podcast

Mercado do Café - Entrevista com Rodrigo Costa - Diretor de Trading do Grupo do Comexim

Download

LOGO nalogo

O mercado futuro do café arábica continua registrando altas significativas nos principais contratos. Após um período onde produtores sentiram a pressão do mercado com preços abaixo do esperado, o cenário há duas semanas é diferente e os valores têm chamado atenção na Bolsa de Nova York. 

Para Rodrigo Costa - Diretor de Trading do Grupo do Comexim o mercado tem tudo para finalizar 2019 em alta e os bons preços podem ser considerados uma surpresa positiva para o setor. "Em vista que o mercado vinha com uma tendência de baixa há bastante tempo, muito de disponibilidades maiores", afirma. Destacou ainda que é importante que o produtor se programe, aproveite as altas e se organize para entrar em 2020 sem maiores problemas. 

Rodrigo explicou ainda que toda vez que o mercado muda de tendência e tem uma mudança mais aguda, existe um pouco de questionamento por parte dos agentes. Segundo Costa, tecnicamente o mercado está bem positivo, está conseguindo segurar os bons preços apesar do real desvalorizado e apesar de estarmos num período de maior disponibilidade de cafés na América Central, destacando também a entrada safra da Colômbia. "O mercado ainda tem se comportado de forma sólida. Eu particularmente acho que sim, a gente pode encerrar o ano positivo", afirma. 

Para o especialista, a mudança de patamar aconteceu devido as mudanças de níveis técnicos que foram rompidos em Nova York. "Mais importantes que isso, foi uma sequência de ganhos que nós tivemos tão logo o contrato de dezembro/19 entrou em notificação. A diferença de preço ente o mês que está sendo entregue e o próximo mês futuro estreitou bastante", explicou durante a análise de mercado. 

Diferente do que alguns sites internacionais têm destacado, para Rodrigo as condições climáticas no Brasil não tem sido um impulso para o aumento de preços. "Tem informações vindo de algumas regiões que por causa do clima tempo, já teve alguma perda no potencial de produção do próximo ano, mas em maioria o mercado não está tão preocupado com o clima no Brasil", afirmou. 

Segundo o especialista, durante todo o movimento de alta do mercado foram registrados bons negócios. "Não só apenas para quem tem café disponível agora, mas também para negócios futuros, de uma forma disciplinada os produtores tem aproveitado ", comenta Rodrigo. 

Veja a entrevista completa no vídeo acima

 

Por: Virgínia Alves
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Jair Del Cól Valinhos - SP

    Está bem claro que os estoques de café, principalmente no Brasil, estão baixíssimos... 2019 foi um ano ano de safra baixa, o aumento mundial de consumo e uma exportação nossa, recorde de 40 milhões de sacas. Basta fazer cálculos. Na minha opinião, a pouca oferta é que está impulsionando os preços para cima. (e a safra brasileira de 2020 será bem menor do que as previsões das agências estão divulgando... aproximadamente uns 10% a menos do que a bela colheita de 2018).

    0