Presidência da Funai: Quem tem medo do delegado Xavier só pode ser bandido, diz Procurador Rodinei

Publicado em 16/07/2019 14:18 e atualizado em 17/07/2019 12:57
3646 exibições
A indicação do delegado da PF, Marcelo Xavier, para a presidência da Funai enfrenta resistencias de ONGs e militantes de esquerda que não desejam mudanças nas áreas de demarcações de terras. Acompanhe a entrevista com o procurador Rodinei Candeia, especialista em questões indígenas.
Rodinei Candeia - Procurador do Estado do Rio Grande do Sul

Podcast

Questões Indígenas - Entrevista com Rodinei Candeia - Procurador do Estado do Rio Grande do Sul

Download

LOGO nalogo

O Notícias Agrícolas continua acompanhando as recentes mudanças das políticas índígenas e o quanto isso pode afetar o agronegócio. Para falar sobre o assunto, o jornalista João Batista Olivi conversou com Rodinei Candeia, procurador do Estado do Rio Grande do Sul, que indicou o nome do delegado federal Marcelo Xavier para a presidência da Funai.

Veja também: Questão indígena: "Ministro Barroso faz confusão com demarcações de terras por ideologia", diz FPA

Candeia explicou que quando foi convidado pra assessorar a CPI da Funai e do Incra, exigiu como condições: uma equipe técnica sem vínculos políticos, que fosse independente e que contasse com a participação de um delegado da Polícia Federal, no caso o próprio Marcelo Xavier. "Alguns meios de comunicação chegaram a  sugerir que o delegado seria ligado à bancada ruralista. Isso é uma irresponsabilidade, de quem não sabe respeitar o trabalho de uma pessoa qualificada para a função que exerce", critica.

Saiba mais: O que há por trás da questão indígena: criar 600 reservas? Travar metade do território nacional? Ou manter dinheiro nas ONG's?

Se o delegado for nomeado como presidente, terá que lhe dar com assuntos delicados, como é o caso das demarcações, já que existem 600 novos pedidos de áreas indígenas no âmbito da Funai, que tomariam de 20 a 30 milhões de hectares no país. 

Leia: Juiz decide por reintegração de posse a índios Bororos em Jarudore, distrito de Poxoréu-MT

>> Indígenas invadem propriedade e atacam policiais com flechas e coquetel molotov

Em 2017, Rodinei Candeia publicou o vídeo abaixo:

Fonte: Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Mônica Corrêa Aquidauana - MS

    Dr Rodinei nos ajuda a resolver essas questões e trazer paz ao campo!! Obrigada ao jornalista João Batista!!

    3
    • Ivo Vicente Basso Rio Brilhante - MS

      VEJAM A SITUAÇÃO DA CORRUPÇÃO NA FUNAI!!!

      0
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Sr. Ivo Vicente Basso, antes fosse... SOMENTE... na FUNAI ... ESTÁ TUDO DOMINADO!!!

      1
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Amigo João Batista, você fica espantado com as revelações o procurador do RS e eu também fico espantado, só que com o que acontece conosco, a tal classe que é desunida..., o que acontece com os produtores rurais? Talvez algo como..."aqui na minha região não tem índio então eu vou xingar o USDA... Grandes vitimas dos relatórios, como se não houvesse preço bom e horas de vender. O olho grande quer abarcar campo sobre campo até não mais haver. Nós somos medíocres, merecemos ser governados por essa malta de criminosos, Todo castigo que Deus manda é pouco, até que nos emendemos. Mas eu quero fazer o pouco que posso, me solidarizar e apoiar o procurador Rodinei, que pela expressão do rosto demonstra ser uma pessoa séria, um funcionário público exemplar, e nesses tempos não posso deixar de parabeniza-lo. E lamentar que infelizmente não temos militância, não temos pessoas engajadas nos movimentos, como a esquerda tem. Mas temos homens valorosos, o entrevistador João Batista Olivi é um deles. É impossível que quem assista essa entrevista não estremeça de pavor ao saber que um único ativista de esquerda impede o desenvolvimento de um estado inteiro, atingindo diretamente milhões de pessoas, em favor de seu favorecimento pessoal e de seus grupos. Qualquer um que ouça as palavras do Sr. Rodinei Candeia perceberá que a esquerda ainda manda e domina nosso país. É preciso que os produtores se aliem aos movimentos e tenham participação politica, sem esperar nada da bancada ruralista, nós é quem devemos decidir e não sermos os subordinados, precisamos de militância, de participação. Exatamente como falou o procurador Rodinei Candeia, nós precisamos discutir os temas, as pautas, os problemas que nos afligem e exigir do poder público as soluções que nós queremos. É isso ou continuaremos a reboque de grupos esquerdistas e suas ONGs financiadas por interesses internacionais gigantescos e multibilionários.

    9