Contratos futuros para o boi gordo finalizam a semana com valorizações na B3

Publicado em 22/05/2020 17:00 e atualizado em 22/05/2020 17:36 424 exibições

LOGO nalogo

Os contratos futuros para o boi gordo finalizaram a sexta-feira (22) com valorizações na Bolsa Brasileira (B3). O Maio/20 terminou o dia cotado a R$ 203,80/@ e  com uma alta de 0,17%. O Junho/20 registrou um ganho de 1,00% e está precificado a R$ 203,00/@.

O vencimento Julho/20 teve um incremento de 1,49% e foi negociado a R$ 204,00/@, enquanto, o contrato Outubro/20 finalizou o dia com um avanço de 1,29% e está cotado a R$ 204,50/@. 

A semana termina com valorizações nos principais contratos negociados na Bolsa Brasileira. O vencimento Maio/20 terminou a semana com um ganho de 1,80% se comparado com a sexta-feira da semana anterior. No caso do contrato Junho/20 esse ganho foi de 2,58% ao longo da semana.

O Julho/20 teve uma alta de 2,93% frente aos preços do fechamento da sexta-feira passada. No caso do contrato Outubro/20, a valorização nos preços foi de 2,66% frente ao observado na última semana.

Confira como foram a evolução dos preços dos principais contratos negociados na Bolsa Brasileiraa (B3)

Em seu boletim matinal, a Radar Investimentos destacou que as ofertas de compras ficaram de lado nesta semana em São Paulo. “As tentativas de compra estão bem definidas com R$ 195,00/@ no boi comum e aquelas para o boi China giram ao redor de R$ 200,00/@, à vista. As programações de abate estão completas entre o final de maio e início de junho”, informou. 

De acordo com as informações da Consultoria Agrifatto, o mercado de boi gordo se mantém com os preços estáveis, demonstrando reajustes positivos em algumas regiões do país em que ainda há retenção de boiada nos pastos. “As escalas de abate continuam avançando, nas praças paulistas encerraram a quinta-feira (21) em 9 dias úteis, com alguns frigoríficos com programações até a primeira quinzena de junho”, apontou. 

Com receio de promover um excedente de oferta nas câmaras frigoríficas, as indústrias trabalham com escalas de abate encurtadas e adquirindo animais apenas para programações mais urgentes. A informa Economics FNP destacou que mesmo com as compras reduzidas, não há espaço para uma maior pressão baixista sob os preços da arroba.

"Apesar da diminuição no volume de chuvas na maior parte do Brasil tenha aumentado a disponibilidade de animais terminados no mercado, a oferta de gado ainda é restrita, resultado de uma alteração na cadeia pecuária observada nos últimos anos; com o aumento do abate de novilhas e o encarecimento do gado de reposição, o rebanho brasileiro segue em tendência de diminuição", explicou a consultoria. 

Preços

De acordo com o levantamento da Scot Consultoria, as referências para a arroba permaneceram estáveis nesta semana na região de Barretos/SP, na qual o preço está em torno de R$ 190,00/@. Por outro lado, as cotações para o boi registraram uma queda de 0,87% na localidade de Cuiabá/MT e que está precificado a R$ 170,50/@. 

Já em Goiânia/GO, os preços da arroba registraram um aumento de 1,69% e estão próximos de R$ 180,50/@, à vista e sem descontar o funrural. O município de Campo Grande/MS, a arroba está cotada a R$ 174,50/@ e finalizou a semana com um avanço de 0,58%. 

Confira como as cotações da arroba de comportaram durante os dias 18/05 a 22/05

Fonte: Scot Consultoria

No aplicativo da Agrobrazil, os participantes registraram negócios região de Campo Grande/MS para o boi china a R$ 180,00/@, à vista e com data para o abate em 04 de junho. Já na localidade de Britânia/GO, o valor negociado para o boi com padrão exportação foi de R$ 190,00/@, à prazo com trinta dias para pagar e com data do abate agendada para 28 de maio. 

O indicador  Indicador do boi CEPEA/B3 teve uma alta de 3,64% se comparado com os preços do fechamento da última sexta-feira (15), que estavam ao redor de R$ 194,50/@. Nesta quinta-feira (21), o indicador encerrou o dia precificado a R$ 202,00/@ com uma queda de 0,07%.

O Cepea informou em seu boletim semanal que os primeiros meses de 2020 foram marcados por preços firmes da arroba bovina. Além do ritmo recorde das exportações brasileiras da proteína no período, a menor oferta de animais prontos para abate no campo sustentou os valores do boi gordo.

Confira a evolução do indicador CEPEA/B3 nos dias 15/05 a 21/05 

Atacado

O analista da Scot Consultoria, Hyberville Netto, ressaltou que as incertezas econômicas e o isolamento social estão afetando o desempenho da carne no atacado. “Nós tivemos uma queda 0,1% na média dos cortes pesquisados pela a consultoria nos últimos sete dias. Quando considerado um cenário um pouco mais longo, de um mês, registramos uma valorização nos cortes de 2,2% e isso é reflexo da concorrência com as exportações”, afirma. 

Confira a entrevista  na íntegra com o analista da Scot Consultoria, Hyberville Netto: 

Podcast

Entrevista com Hyberville Neto - Analista da Scot Consultoria sobre o mercado do boi

Download

No levantamento realizado pelo o aplicativa da Agrobrazil, os preços seguem estáveis para o boi casado em São Paulo estão ao redor de R$ 12,55/kg e a vaca casada está cotada a R$ 11,90/kg. A única movimentação positiva foi no boi casado no nordeste que teve um ganho de 0,45% e está em torno de 13,40/kg. 

Segundo os dados da Radar Investimentos, os preços dos cortes do dianteiro estão estáveis e cotado a R$ 12,56/kg, enquanto, os valores dos cortes traseiros registraram uma valorização de 0,4% com negócios precificados a R$ 15,07% no estado de São Paulo. 

Confira a entrevista completa:

>> Estudo da Farsul destaca comportamento do consumo de carne bovina no mundo e mostra protagonismo do Brasil na oferta da proteína

Leia tambem: 

>> Frigoríficos reduzem abates para evitar pressão negativa nos preços da carne bovina no atacado

Confira como ficaram as cotações para o Boi Gordo nesta sexta-feira:

>> BOI

Tags:
Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário