Café: Após altas expressivas, NY encerra semana com variações técnicas

Publicado em 06/12/2019 16:26
691 exibições

LOGO nalogo

O mercado futuro do café encerrou a semana com baixas técnicas na Bolsa de Nova York (ICE Future US). Nesta sexta-feira (6) os principais contratos registraram baixas de até 25 pontos, após um dia de oscilações e altas de 220 pontos no Dezembro/19. 

Depois das altas, dezembro/19 encerrou as negociações com queda de 25 pontos, cotado a 123,70 cents/lbp, março/20 caiu 5 pontos, cotado a 124,80 cents/lbp, maio/20 teve queda de 5 pontos, cotado a 126,95 cents/lbp e julho/20 registrou baixa de 10 pontos, encerrando a semana por 128,70 cents/lbp.

O mercado do café vem vivendo dias de grandes variações na Bolsa de Nova York, seja para altas expressivas ou quedas significativas. O site internacional Barchart ainda destaca que as movimentações acontecem após uma nova estimativa de safra ser divulgada pela Coex Coffe International. "Disse na quarta-feira que a safra de café do Brasil estará próxima de 54 a 55 milhões de sacas, abaixo da previsão do USDA de 58 milhões de sacas", destaca o Barchart. 

Para o analista Eduardo Carvalhaes, em entrevista ao Notícias Agrícolas na quinta-feira (5), as altas são reflexos do cenário que o cafeicultor enfrentou durante ao longo do ano, com preços muito abaixo do esperado. "Existe o sentimento de que o mercado está subindo porque o Brasil está embarcando bem e já sabemos que a próxima safra será de ciclo alto, porém abaixo da safra/2018", destacou. 

Durante a semana, a Reuters também destacou que a escassez de café de qualidade está atingindo fundos e fazendo os preços subirem. "Operadores e analistas afirmam que a escassez é um importante fator por trás do salto nos contratos futuros do arábica na ICE, que catapultaram cerca de 25% desde meados de outubro, em meio a uma disputa pelos estoques certificados pela bolsa de arábica lavado ou de qualidade", afirma. 

- Escassez de café de qualidade atinge fundos e faz preços subirem

Mercado Interno

No Brasil, o mercado interno acompanhou o exterior e também registrou algumas variações. 

O tipo 6 duro manteve a estabilidade nas principais praças do país e registrou aumento apenas em Varginha/MG, com alta de 3,85% e preço estabelecido em R$ 540,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 535,80, Poços de Caldas/MG manteve a estabilidade por R$ 520,00. Franca/SP também não registrou variações, mantendo R$ 540,00, assim como Espírito Santo do Pinhal/SP, por R$ 530,00. 

O tipo 4/5 teve alteração apenas em Varginha/MG, com alta de 3,81% e preços por R$ 545,00. Poços de Caldas/MG manteve a estabilidade por R$ 530,00. Franca/SP também manteve a estabilidade por R$ 550,00. 

O tipo cereja descascado teve alta de 3,70%, estabelecendo os preços por R$ 560,00. Em Espírito Santo do Pinhal a alta foi mais expressiva, com 5,45% - por R$ 580,00. Guaxupé/MG manteve a estabilidade por R$ 573,00, Poços de Caldas/MG também manteve a estabilidade por R$ 615,00. 

Veja como operou o mercado nesta semana: 

Café: Mercado encerra sessão com altas de até 295 pts; clima influencia nos preços

- Café: Mercado avança e encerra mais um dia com altas em Nova York

- Café: Bolsa de Nova York encerra sessão com baixas de até 250 pts

Café: Março/20 tem alta de 360 pts e encerra mais uma sessão expressiva em NY

Veja também: 

- Chuva do último final de semana ajudou o desenvolvimento do café em Muzambinho/MG

- Café: Tendência é que mercado continue operando em alta e encerre 2019 com bons preços

Cafés Especiais: Brasil segue buscando espaço de destaque; setor está mais exigente e produtor investe cada mais nas lavouras

 

 

Por:
Virgínia Alves
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário