Milho cai no mercado físico e na B3 enquanto Conab estima aumento na produção de milho

Publicado em 09/04/2020 17:07 e atualizado em 11/04/2020 20:15 1114 exibições
Números do USDA aliviaram cotações e Chicago subiu nesta 5ª feira

LOGO nalogo

Durante esta quinta-feira (09) não foram detectadas valorizações em nenhuma das praças pesquisadas em levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas. Já as desvalorizações apareceram em São Gabriel do Oeste/MS (2,13% e preço de R$ 46,00), Palma Sola/SC (2,22% e preço de R$ 44,00), Não-Me-Toque/RS (2,25% e preço de R$ 43,50) e Rio Verde/GO (8,33% e preço de R$ 44,00).

Confira como ficaram todas as cotações nesta quinta-feira.

Ainda nesta quinta-feira a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou seu 7º Levantamento da Safra apontando perspectivas para a produção brasileira das mais diversas culturas. No caso do milho, os números relatados dão conta de uma colheita de 101,9 milhões de toneladas, sendo 75,4 milhões de toneladas somente na segunda safra.

A área cultiva também tende a crescer em 4,5% comparada com a safra anterior e pode atingir 13,5 milhões de hectares. “Vale destacar, ainda, que o plantio do grão encontra-se em estágio avançado. Mato Grosso, principal estado produtor, já finalizou a semeadura do milho, juntamente com Goiás, Tocantins e Maranhão. Paraná, Mato Grosso do Sul e Piauí têm mais de 90% da área semeada”.

O Notícias Agrícolas preparou um material especial trazendo os números apresentados pela Conab neste dia acrescidos de uma panorama da realidade das lavouras em vários estados e regiões do Brasil, além de análises elaboradas por analistas de mercado. Você pode conferir este material na íntegra clicando aqui.

B3

A bolsa brasileira operou a maior parte do dia em patamares negativos para os preços futuros do milho, com movimentações mínimas de 1,21% por volta das 16h05 (horário de Brasília).

O vencimento maio/20 foi cotado à R$ 46,75 com queda de 0,21%, o julho/20 valeu R$ 44,00 com estabilidade, o setembro/20 foi negociado por R$ 42,74 com perda de 0,81% e o dezembro/20 teve valor R$ 44,75 com desvalorização de 1,21%.

Mercado Externo

A quinta-feira (09) chegou ao fim com ganhos para os preços internacionais do milho futuro na Bolsa de Chicago (CBOT) após abrir a sessão em alta, mas operar em baixa por parte do dia. As principais cotações registraram flutuações positivas entre 1,25 e 1,75 pontos ao final deste último dia útil da semana.

O vencimento maio/20 foi cotado à US$ 3,31 com valorização de 1,75 pontos, o julho/20 valeu US$ 3,36 com alta de 1,25 pontos, o setembro/20 foi negociado por US$ 3,41 com elevação de 1,25 pontos e o dezembro/20 teve valor US$ 3,50 com ganho de 1,50 pontos.

Esses índices representaram valorizações, com relação ao fechamento da última quarta-feira, de 0,30% para o maio/20, de 0,30% para o julho/20, de 0,29% para o setembro/20 e de 0,29% para o dezembro/20.

Com relação ao fechamento da última sexta-feira (03), os futuros do milho acumularam alta de 0,30% para o maio/20, baixa de 0,29% para o setembro/20 e estabilidade para o julho/20 e para o dezembro/20, na comparação da última semana.

Segundo informações do site internacional Farm Futures, os preços do milho registraram ganhos modestos na quinta-feira, depois que o USDA não apresentou surpresas na oferta e na demanda em seu relatório mensal WASDE, enquanto relatava uma rodada de vendas de exportação melhor que o esperado na semana passada.

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxe aumento dos estoques finais de milho dos EUA de 48,06 para 53,14 milhões de toneladas, enquanto a média das expectativas do mercado era de 50,55 milhões de toneladas.

O uso de milho para a produção de etanol também foi reduzido de 137,8 para 128,28 milhões de toneladas. As importações, por sua vez, foram revisadas para baixo, de 1,27 para 1,14 milhão de toneladas. 

Relembre outras informações sobre o milho nesta semana:

>> Milho: alta de 60,3% em relação a igual período do ano passado

>> Milho: baixa oferta faz com que indicador atinha a casa dos R$ 60/sc

>> Preços do milho podem cair ao menor nível em mais de uma década nos EUA

>> Exportações brasileiras de milho na 1ª semana de abril despencam em comparação ao mesmo mês de 2019

>> MT já vendeu 73% desta safra de milho e espera chuva na 1ª quinzena de abril para manter produção de 32,4 mi. T

>> Após período de estresse hídrico, Toledo/PR espera que chuva desta semana ajude a recuperar lavouras de milho

>> Imea aponta aumento do valor bruto de produção do milho em MT

>> Milho: produtor deve buscar liquidez e converter o grão em caixa neste cenário baixista, recomenda o analista Anderson Galvão

>> Deral indica que plantio da safrinha foi concluído e colheita da safra verão está em 91%

>> Adido do USDA no Brasil reduz estimativa de safra de milho para 100 milhões de t

>> Segunda safra de milho se desenvolve bem em Caarapó/MS, mas produtores temem risco de geada em junho

>> Emater/RS aponta que 76% do milho gaúcho já foi colhido e preços sobem 0,29% na semana

>> Conab estima 101,9 milhões de toneladas de milho em 2020, 75,4 somente na safrinha; confira realidades em diversos estados            

Tags:
Por:
Guilherme Dorigatti
Fonte:
Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário